Fique por dentro das notícias do IES

    A tática é um termo relacionado com a inteligência de jogo no meio do futebol. Nas modalidades esportivas coletivas este é um indicador indispensável ao desempenho pela grande imprevisibilidade do ambiente. Esta grande imprevisibilidade faz os jogadores ter que adaptarem suas ações constantemente às mudanças de situações que ocorrem no decorrer do jogo. De maneira mais direta o termo tática poder ser associado à maneira e eficiência do modo de agir e no artigo de hoje vamos especificar três pontos fundamentais ao bom desempenho da tática: assertividade na interpretação do jogo e no modo de agir; velocidade de ação; criatividade.

    A correta interpretação da situação do jogo e modo de agir está relacionada com o entendimento do jogador ao que acontece no jogo. Este é um item que discrimina a capacidade de interpretação e entendimento dos jogadores dos problemas que o ambiente apresenta e ao emprego da correta solução ao que o ambiente oferece. Esta é a habilidade básica para o bom desempenho tático no jogo.
    Já a velocidade do modo de agir está associada com o tempo de interpretação, decisão e execução das ações. Os enfrentamentos com adversários geram disputas em que os jogadores de lados opostos tentam agir de modo a superar seus oponentes. Um dos pontos fundamentais deste embate é o tempo de ação. Quem age antes e de maneira acertada costuma levar vantagem no confronto e um termo associado a esta capacidade é denominado de “antecipação”. A antecipação está presente nos ações de cobertura, interceptação de passe, desmarcação sem bola entre outras... Basicamente os bons antecipadores conseguem interpretar as ações dos jogadores adversários de maneira muito rápida e precisa e escolher a ação mais adequada à situação de maneira mais rápida ao que o jogador oponente possa confrontar.

    E, por último, a criatividade está relacionada com a capacidade de agir de maneira diferente e eficiente do modo básico de ação. Geralmente jogadores criativos encontram soluções diferenciadas e geram grande desequilíbrio à equipe adversária. Além disso, outro ponto que pode ser relacionado com a criatividade é a capacidade de manipulação do adversário. Jogadores extremamente inteligentes induzem o comportamento dos adversários através de ações “falsas”. Ou seja, eles agem para fazer os jogadores adversários atuarem para combater a ação previsível para a situação e executam uma ação diferenciada a partir da ação de seus adversários. Este é um dos níveis mais altos de inteligência do jogo.

    Os pontos abordados acima se referem à capacidade tática de maneira geral. Para análise mais aprofunda é necessário especificar os problemas do jogo relacionados a cada posição e debater os desafios e soluções pertinentes a cada situação de jogo.

    Espero que tenham gostado do texto.

    Até a próxima.


     

    No post de hoje vamos debater um artigo que investigou a influência da limitação do número de toques na bola sobre o desempenho dentro de um jogo reduzido. O artigo “Influence of limiting the number of ball touches on players’ tactical behaviour and network properties during football small-sided games” foi escrito por Rafael Brito E Sousa e colaboradores no “International Journal of Performance Analysis in Sport” no ano de 2019.
    24 03 01

    24 03 02No estudo 36 jogadores com média de 15 anos de idade de equipes de categoria de base do futebol brasileiro jogaram jogos reduzidos de 3 x 3 com um goleiro para cada equipe em duas situações: sem limitação no número de toques na bola para cada jogador e com limitação de dois toques na bola (regra muito utilizada nos treinamentos).
    24 03 03Figura extraída de Sousa e col. (2019).

    Na análise dos dados foram comparadas as ações (com bola e sem bola) e a distribuição dos jogadores no campo de jogo.

    Os resultados do estudo encontraram cinco pontos de diferença na regra com limitações no número de toques na bola: a) menor número de penetrações com bola; b) aumento do número de ações sem bola da equipe que ataca, principalmente na periferia do campo (aumento do espaço de ocupação dos atacantes); c) aumento o número de interações entre os companheiros de equipe (número de passes); d) aumento da proteção do corredor central pela equipe de defesa; e) melhora de desempenho da equipe que defende.

    Com relação à equipe que tem a posse da bola a limitação do número de toques estimulou maior número de passes e desmarcações sem bola pela necessidade de manter a posse de bola sem poder ficar segurando a bola, isso também diminuiu de maneira significativa as ações de penetração com a posse de bola. Além disso, foi notado que os jogadores se distribuíram mais no campo de jogo o que fez aumentar o espaço ocupado pela equipe que estava atacando.

    Já com relação à situação de defesa, a limitação de toques influenciou na forma de ocupação da equipe no campo de jogo (aumento da proteção do corredor central). Isto pode ter acontecido pela menor necessidade de roubar a bola do jogador com bola e ênfase na proteção das regiões com maior probabilidade de gol pela equipe adversária. Este tipo de comportamento somado às limitações impostas à forma de agir dos atacantes resultou em uma melhora de desempenho defensivo.

    Assim, é possível concluir que a limitação no número de toques na bola produziu mudanças significativas na dinâmica do jogo. Contudo, é importante destacar que estas mudanças são muito influenciadas pelo nível técnico dos jogadores. Com isso, é possível encontrar efeitos diferentes na dinâmica do jogo sobre jogadores de diferentes níveis de desempenho.

    Espero que tenham gostado do artigo.

    Até a próxima.


     

    Olá a todos, neste post vamos abrir uma série de seis artigos reportando estudos científicos sobre a influência do treinamento no formato de jogo reduzido sobre o desempenho dos jogadores. O artigo de hoje é referente ao estudo intitulado “Evolution of tactical behavior of soccer players across their development” escrito por Javier Sevil Serrano e colaboradores na revista “International Journal of Performance Analysis in Sport” no ano de 2017.
    10 03 001

    10 03 001a

    10 03 001b
    Apesar de não ser um artigo que estudo diretamente o jogo reduzido ele aborda análise de jogos das categorias de base do futebol espanhol e comparara o desempenho entre as idades, como o formato de tamanho do campo e número de jogadores é diferente entre as categorias é possível fazer uma relação da manipulação de espaço e número de jogadores com o desempenho no jogo.

    Na Espanha as competições formalizadas se iniciam em confrontos de 5 contra 5 em um espaço de 40 x 20 metros na categoria sub 8, depois mudam para confrontos de 8 contra 8 em um espaço de 65 por 45 na categoria sub 10, passa para 7 contra 7 em um espaço de 65 por 45 metros na categoria sub 12 e só a partir da categoria sub 14 que é jogado 11 x 11 no campo normal. No estudo foram analisados jogos entre as categorias sub 10, sub 12, sub 14, sub 16 e sub 19. Assim, é possível comparar o desempenho em jogos de 8 x 8, 7 x 7 e 11 x 11.

    A análise de desempenho dos jogos foi baseada na soma das ações ofensivas com bola realizadas pelos jogadores (progressão com a bola (drible), passe e chute), sendo que em cada ação foi avaliada sua eficiência quanto à decisão e execução técnica. A partir desta classificação foram elaborados índices de eficiência baseado na porcentagem de acerto das ações.

    Resultados:
    Os resultados da análise evidenciaram que existe uma tendência geral de melhora entre a categoria sub 10 e sub 12, com uma queda de eficiência na categoria sub 14 e posterior retomada nas categorias sub 16 e sub 19, como é mostrado nas tabelas. Isso aconteceu tanto com relação à decisão como na análise da execução.

    10 03 002 10 03 003 

     

    Estes resultados mostraram uma tendência diferente da esperada, pois o comportamento normal seria que o desempenho fosse sendo aprimorado ao longo dos anos (o que é evidenciado em teste sobre o conhecimento do jogo e testes técnicos), com a qualidade do jogo da categoria sub 12 sendo melhor do que da sub 10, da sub 14 sendo melhor do que da sub 12, sub 16 melhor que sub 14 e sub 19 melhor que 16.

    A principal diferença ficou na queda de desempenho da categoria sub 14, justamente a primeira faixa de idade que iniciou os confrontos de 11 contra 11 no campo normal de jogo. Em outros estudos também foi evidenciado quedas de desempenho entre as categorias sub 10 (jogo de 8 x 8) com a sub 8 (jogo de 5 x 5).

    Estes resultados dão um forte indício da influência do tamanho do campo sobre o desempenho dos jogadores. Esta influência estaria relacionada com o aumento da complexidade do jogo com aumento do número de jogadores. Ou seja, jogador com campo reduzido e número menor de jogadores podem não abranger alguns aspectos importantes do jogo formal, apesar de promover muitos outros aspectos relevantes.

    Ainda são necessários mais pesquisas para atestar a influência e explicar as razões da mudança de desempenho com a alteração do número de jogadores e tamanho do campo, principalmente com relação a efeito de aprendizagem. Contudo, já temos alguns primeiros indícios desta influência.

    Espero que tenham gostado do artigo.
    Até a próxima.


     

    logo ies gd bcIES - International Evaluation System
    Av. Rio Branco, 257 - Cj 902 - Centro
    200040-009 | Rio de Janeiro - RJ 

    Últimos Artigos no Blog

    08
    Abr2021

    A relação entre a tática e o desempenho no futebol

    A tática é um termo relacionado com a inteligência de jogo no meio do futebol. Nas modalidades espor...

    08
    Mar2021

    Ciência do jogo reduzido: A influência da limitação do número de toques na bola sobre o desempenho nos jogos reduzidos

    No post de hoje vamos debater um artigo que investigou a influência da limitação do número de toques...

    O Aplicativo IES

    bt google store

    bt apple store

     

    © 2017 IES. Todos os direitos reservados.

    Busca no site