O QUE AS CRIANÇAS APRENDEM COM O FUTEBOL?

    Para muitas famílias brasileiras, o futebol faz parte de seu dia a dia. Pais que transmitem a paixão pelo time aos filhos, avós que levam os netos ao estádio, tios que dão um uniforme de presente para os sobrinhos…

    Além de toda essa diversão e conexão que o esporte traz, as crianças também aprendem com ele muito mais do que as regras do jogo, seja torcendo pelo time ou praticando o futebol no seu dia a dia.

    A IES FOOTBALL é a favor e entra em campo todos os dias para levantar a bandeira da necessidade do esporte na vida das crianças/ adolescentes e se você ainda não se convenceu com relação a isso, vamos listar alguns aprendizados, tidos por nós como os maiores valores e habilidades que as crianças adquirem através da prática do futebol.

    O que as crianças aprendem com o futebol?

    1. Trabalho em equipe e cooperação

    As crianças aprendem com o futebol que trabalhar junto com os colegas resulta no melhor resultado para todos. Não adianta querer jogar sozinho, nem ser “fominha” – o grupo mais unido e equilibrado vai levar a maior vantagem. Os colegas de time ficam felizes uns pelos outros, pois os sucessos dos membros beneficiarão a equipe como um todo.

    Acompanhando os jogos do time do coração ou da seleção brasileira na Copa do Mundo, as crianças veem que ganhando ou perdendo, o time faz isso como uma equipe. Ninguém leva o crédito sozinho ou assume a culpa toda se o time falhar. É importante mostrar aos pequenos que apesar de os times terem seus ídolos, todos os jogadores e até a equipe técnica são importantes para o sucesso nas partidas.
    Esse aprendizado é essencial para a vida, já que fora do esporte também somos parte de muitas equipes, desde a família até grupos de amigos e colegas de trabalho. Essas relações dependem de colaboração, assim como no futebol o jogador trabalha junto com seus companheiros de equipe.

    2. Saber perder

    Não importa se o melhor jogador do time é o seu pequeno ou o Neymar: um dia, o time vai perder um jogo. Se até os adultos têm dificuldade para lidar com frustrações e derrotas, a falta de maturidade emocional das crianças torna ainda mais difícil acreditar na famosa frase: “O importante é competir”.
    A verdade é que lidar com o fracasso é uma habilidade que se adquire com a experiência, e por isso esportes como o futebol podem ajudar nesse processo. Não adianta fazer birra, chorar, muito menos desistir. Uma perda no futebol pode energizar a equipe, fazendo com que o time faça exercícios extras para trabalhar no que precisa ser melhorado, como dribles, passes ou defesas.

    É importante mostrar para o pequeno que até times campeões perdem, e que isso não quer dizer que os jogadores não são bons. Talvez eles não estivessem bem naquele momento, mas na próxima vez sempre pode ser diferente. As crianças aprendem com o futebol a pensar no que causou a derrota, e que é importante trabalhar para dar o melhor no futuro. Esse aprendizado se aplica muito além do esporte, tanto na vida pessoal como profissional.

    3. Confiança e autoestima

    Os esportes coletivos ajudam a desenvolver autoconfiança, assim como trabalhar a autoestima.
    Um estudo realizado nos Estados Unidos investigou os motivos de meninas demonstrarem queda na autoestima a partir do 5º ano escolar, e mostrou que aquelas que praticam esportes relatam níveis mais altos de confiança.

    Tanto meninos como meninas que se envolvem em jogos coletivos tendem a fazer amizades baseadas no apoio e na colaboração, e isso ajuda significativamente a criança a ter uma imagem melhor de si mesma e confiar em suas habilidades. Como todos os jogadores em uma equipe desempenham um papel importante, cada membro se sente valorizado e apreciado.

    Além disso, ser parte de uma equipe também pode ajudar a criança a superar a timidez. É menos provável que os pequenos se sintam isolados, pois têm um grupo de amigos que trabalham juntos com um objetivo comum.
    4. Persistência e treino

    A prática de esportes como o futebol mostra que sempre podemos dar o nosso melhor, e que muitas vezes isso depende de bastante esforço. O pequeno ou a pequena pode ver que seus ídolos trabalharam muito para chegar aos grandes times ou à seleção, e que continuam treinando constantemente para sempre melhorar.

    A competição saudável estimula a persistência, porque atletas não contam apenas com seu talento, e sim com muito suor. As crianças aprendem com o futebol que a dedicação traz resultados, e que atingir objetivos através de seu próprio esforço é muito recompensador.

    5. Respeito por todos

    Por ser um esporte coletivo, as crianças aprendem com o futebol a importância do respeito pelos colegas, pelos professores, treinadores, árbitros e, claro, pela equipe adversária.

    Na torcida, também é importante ensinar aos pequenos sobre o respeito dentro e fora de campo, desde cedo. Tudo bem torcer pelo seu time, porém isso não significa que é permitido insultar os adversários. As brincadeiras entre torcidas fazem parte da festa do futebol, mas a criança tem capacidade de aprender a diferenciar a competição saudável daquilo que é ofensivo. É só incentivá-la a pensar: “Como você se sentiria se estivesse no lugar do outro?”.

    O respeito está diretamente ligado ao trabalho em equipe, à capacidade de lidar bem com derrotas e também à confiança em si mesmo. A prática do esporte, quando ocorre em um contexto de competição saudável, é uma oportunidade para a criança desenvolver todos esses aspectos de forma positiva.
    Como encorajar a competição saudável?

    Muitos pais e mães ficam apreensivos sobre o que é melhor: incentivar ou não a competitividade nas crianças. A verdade é que a competição pode ser muito positiva se acontecer em uma atmosfera que promova aprendizados construtivos ao invés de apenas pressão pelo sucesso e frustração pelos fracassos.

    Quando as crianças estão vivendo situações competitivas de formas não saudáveis, elas dão alguns sinais, como mostrar resistência à atividade, evitar e até fingir que está doente para não participar dos jogos ou competições. Além disso, ambientes extremamente competitivos podem causar sinais de depressão, ansiedade, dificuldade para dormir e perda de apetite. É claro que é normal que os pequenos fiquem ansiosos antes de participarem de alguma partida, mas isso não pode ser constante e nem atrapalhar o seu dia a dia.

    Algumas demonstrações de que a criança está participando de competições de forma saudável acontecem quando ela pede para participar novamente, quando não ter problemas ao perder, demonstra boa autoestima e sempre quer praticar para melhorar.

    Para encorajar uma relação saudável da criança com a competição, é importante dar suporte a ela durante seus desafios e sempre reforçar a mensagem de que está tudo bem perder, já que o mais importante é o pequeno se desenvolver e aprender com essas experiências.

    Seu pequeno é apaixonado por futebol? Então, conheça mais sobre os serviços que a IES Football oferece através do site www.iesfootball.com e vamos trabalhar juntos para o futuro do seu filho no meio esportivo!

    logo ies gd bcIES - International Evaluation System
    Av. Rio Branco, 257 - Cj 902 - Centro
    200040-009 | Rio de Janeiro - RJ 

    Últimos Artigos no Blog

    08
    Abr2021

    A relação entre a tática e o desempenho no futebol

    A tática é um termo relacionado com a inteligência de jogo no meio do futebol. Nas modalidades espor...

    08
    Mar2021

    Ciência do jogo reduzido: A influência da limitação do número de toques na bola sobre o desempenho nos jogos reduzidos

    No post de hoje vamos debater um artigo que investigou a influência da limitação do número de toques...

    O Aplicativo IES

    bt google store

    bt apple store

     

    © 2017 IES. Todos os direitos reservados.

    Busca no site